Catarata

O QUE É?

A catarata é a opacificação do nosso cristalino, estrutura do globo ocular que funciona como uma lente natural para nosso olho.

É uma das principais causa de cegueira reversível do mundo, acometendo principalmente pessoas idosas, porém, pode em menor escala acometer pessoas mais jovens.

    Curiosidade: Ao contrário do que muitos imaginam, nem toda catarata deixa o olho branco.

    COMO TRATAR?

    O único tratamento comprovado para a catarata é a cirurgia, sendo esta a cirurgia eletiva mais realizada no mundo.

    A cirurgia constitui na retirada do cristalino opaco e a substituição por um cristalino artificial, chamado de lente intra-ocular.

    Não existem colírios, vitaminas nem qualquer outro tratamento cientificamente comprovado além da cirurgia para impedir o avanço ou que permita a cura da catarata.

    A boa notícia é que a cirurgia de catarata tem excelentes resultados, sendo atualmente uma cirurgia muito segura.

    Curiosidade: Ao contrário do que muitos pensam, não se espera a catarata cegar para operar. Atualmente com tamanha segurança, a cirurgia é indicada logo que o paciente começa a perceber limitações em sua acuidade visual

    PROCEDIMENTO

    Hoje a cirurgia de catarata mais moderna é a facoemulsificação, que constitui a fragmentação e aspiração do cristalino através da aplicação de um aparelho que vibra em frequência ultrassônica, que faz o cristalino desintegrar e ser aspirado para fora do olho.

    A anestesia realizada é a local, não tendo necessidade do paciente ser submetido a sedação profunda.

    A cirurgia dura em média de 15 minutos e o paciente recebe alta hospitalar no mesmo dia, já dormindo em casa, e sem necessidade de tampões oculares, usando apenas uma proteção de acrílico, possibilitando que se comece a usar os colírios antibióticos e anti-inflamatórios já no mesmo dia da cirurgia, gerando uma proteção extra.

    Curiosidade: apesar do que muitos falam, NÃO EXISTE AINDA TECNOLOGIA SUFICIENTE PARA REALIZAÇÃO DE 100% DA CIRURGIA DE CATARATA A LASER. Hoje, o laser é capaz de fazer apenas cerca de 15% da cirurgia, que será apenas as incisões, e a fratura do cristalino. Porém, trabalhos científicos ainda não mostraram vantagens na realização da cirurgia com a utilização de laser, sendo até então, a Facoemulsificação a forma mais segura e realizada em todo o mundo.

    Curiosidade: Apesar do que muitos imaginam, não se retira o olho da cabeça para operar. A cirurgia é feita com o olho no lugar onde ele já se encontra,

     

    LENTE INTRA OCULAR

    Esta lente substitui o cristalino natural e é inserida no final da cirurgia. Geralmente é utilizada uma lente intra-ocular dobrável,que entra no olho por uma micro-incisão de cerca de 2,5 milímetros.

    Existem vários tipos de lentes intraoculares, com as mais diversas funções.

    Os tipos mais utilizados são:

    Lentes esféricas: as mais comuns, com o objetivo de corrigir a catarata, porém, não tem função refrativa (não tem objetivo de corrigir todo o grau do paciente, apesar de poder reduzir bastante).

    Lentes Asféricas: Além da função da lente esférica, a lente esférica ainda traz a vantagem de corrigir aberrações periféricas, função que a lente esférica não possui.

    Asféricas (acima) vs Esféricas (abaixo)

    Lentes tóricas: As lentes tóricas são lentes asféricas que ainda terão a capacidade de deixar o paciente livre de óculos para longe, já que além da hipermetropia e/ ou miopia, ainda serão capazes de corrigir o astigmatismo. Porém, com estas lentes, o paciente ainda precisará de auxílio de óculos para enxergar para perto.

    Lentes tri-focais ou de foco extendido: São atualmente as lentes intraoculares mais completas, já que são capazes de corrigir a visão para distâncias, assim como também para leitura, deixando o paciente 100% independente dos óculos.

    É de extrema importância o paciente ser ciente que mesmo com as lentes tri-focais, a visão final do paciente não irá ficar exatamente igual como a que tinha quando jovem. Apesar de deixar a visão com ótima qualidade, as lentes tri-focais ainda apresentam um efeito colateral muito comum em todos os pacientes que optam por este modelo, que é a visão de halos brilhosos, que aprecem principalmente no período da noite ao olhar em direção às luzes. Logo, pacientes que dirigem frequentemente à noite, podem se queixar de que os halos atrapalham quando estão dirigindo.

    Outra contra-indicação para as lentes tri-focais, são pacientes portadores de retinopatias com potencial para acometer a visão central (região macular), como pacientes portadores de retinopatia diabética, e outras doenças maculares (membrana epirretiniana, buraco macular, histórico de vitrectomia posterior, entre outras.)

    Em breve, poderemos ter uma tecnologia que elimine esses efeitos colaterais e torne as lentes multi-focais com menores queixas por parte destes pacientes citados.

    6

    Foto mostrando lente tri-focal com os halos que permitem a visão tanto para perto quanto para longe, mas que causam visão de discretos halos ao redor das luzes.

    8

    Foto mostrando lente tri-focal com os halos que permitem a visão tanto para perto quanto para longe, mas que causam visão de discretos halos ao redor das luzes.

    Curiosidade: Ao contrário do que muitos pensam, não se espera a catarata cegar para operar. Atualmente com tamanha segurança, a cirurgia é indicada logo que o paciente começa a perceber limitações em sua acuidade visual

    CUIDADOS NO PÓS OPERATÓRIOS

    Depois da cirurgia o paciente usa colírio por algumas semanas com o objetivo de controlar a inflamação e diminuir a chance de infecção. Também costuma-se utilizar um protetor de acrílico para proteger o olho operado durante as primeiras noites depois da cirurgia, para evitar que aperte o olho enquanto dorme.

    Deve-se evitar abaixar muito a cabeça nos primeiros dias, assim como evitar contato com água potencialmente contaminada como mar, piscina ou sauna.

    A visão geralmente começa a melhorar no no dia seguinte da cirurgia, levando até três semana para estabilizar o grau final.  

    Geralmente espera-se pelo menos duas a três semanas para operar o segundo olho, no caso de cataratas nos dois olhos. Nunca se deve operar os dois olhos no mesmo dia.

    Outras Cirurgias e Doenças

    ENTRE EM CONTATO

    Ophthalmo Clínica de Olhos.
    Centro Médico F. Diniz

    Rua Dom Pedro II 407 (Sala 207)
    (Prata – Próximo ao terminal da integração).
    CEP: 58400-565.
    Campina Grande, Paraíba PB.

    Telefones:
    (83)3077-1777 | (83)98187-1777

    contato@clinicaophthalmo.com

    ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS

    AGENDE SUA CONSULTA

    Eduardo Henrique Campos - Doctoralia.com.br